EFFECTS OF SEED INOCULATION WITH Azospirillum brasilense AND NITROGEN DOSE ON OIL CONTENT OF CORN GRAINS

Vanderlan Carneiro Dias, Joênes Mucci Peluzio, Maria Dilma de Lima

Resumo


ABSTRACT 

Due to its high economical importance and the need of high amounts of nitrogen fertilizer, the corn crop demands further and deeper studies on biological nitrogen fixation trough bacterium Azospirillum brasilense. Therefore, this study aimed at assessing influence of inoculation of three different genotypes (Orion, A1 Bandeirante and AG-1051) with such bacterium in association with cover application of five different nitrogen doses on percentage oil content in the grains. Data were subjected to ANOVA and means compared by Tukey test at 5%. The inoculation of A. brasilense, with or without nitrogen fertilization, has promoted oil content increase in the grains. Orion genotype presented the greatest increase with the bacterium inoculation, as well as it was the most productive at the lowest nitrogen dosages assessed. High temperatures favored the increase in the oil content in the grains.

 

Keywords: Zea mays, inoculation, biological fixation, oil

 

EFEITOS DA INOCULAÇÃO COM Azospirillum brasilense E DOSE DE NITROGÊNIO SOBRE O TEOR DE ÓLEO DE MILHO

 

RESUMO

Devido à sua grande importância econômica e necessidade de fertilizantes nitrogenados, a cultura do milho exige estudos mais aprofundados sobre a fixação biológica do nitrogênio pela bactéria Azospirillum brasilense. Portanto, este estudo teve como objetivo avaliar a influência da inoculação de três diferentes genótipos (Orion, A1 Bandeirante e AG-1051) com essa bactéria em associação com a aplicação de cinco diferentes doses de nitrogênio no teor percentual de óleo nos grãos. Os dados foram submetidos à ANOVA e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5%. A inoculação de A. brasilense, com ou sem adubação nitrogenada, promoveu aumento do teor de óleo nos grãos. O genótipo Orion apresentou o maior aumento com a inoculação da bactéria, bem como o mais produtivo nas menores dosagens de nitrogênio avaliadas. As temperaturas altas favorecem ou aumentam o teor de óleo nos grãos.

           

Palavras-chave: Zea mays, inoculação, fixação biológica, óleo


Texto completo:

PDF (English)

Referências


REFERENCES

ALBRECHT, L. P.; BRACCINI, A. L.; ÁVILA, M. R.; SUZUKI, L. S.; SCAPIM, C. A.; BARBOSA, M. C. 2008. Teores de óleo, proteínas e produtividade de soja em função da antecipação da semeadura na região oeste do Paraná. Bragantia, Campinas, v. 67, n. 4, p. 865-873.

BALDANI, V. L. D.; BALDANI, J. I. 2005. History on the biological nitrogen fixation research in graminaceous plants: special emphasis on the Brazilian experience. Anais da Academia Brasileira de Ciência, Rio de Janeiro, v. 77, n. 3, p. 549-579.

BARTCHEN, A.; FIORI, C. C. L.; WATANABE, S. H.; GUARIDO, R. C. 2010. Efeito da inoculação de Azospirillum brasilense na produtividade do milho (Zea mays). Revista Campo Digit@l, Campo Mourão, v. 5, n. 1, p. 56-59.

BASHAN, Y.; HOLGUIN, G.; de-BASHAN, L. E. 2004. Azospirillum-plant relations physiological, molecular, agricultural, and environmental advances (1997-2003). Canadian Journal of Microbiology, Ottawa, v. 50, n. 8, p. 521-577.

BORGES, L. V.; FERREIRA, D. F. 2003. Poder e taxas de erro tipo i dos testes Scott-knott, tukey e student-newmankeuls sob distribuições normal e não normais dos resíduos. Revista Matemática Estatística, São Paulo, v. 21, n. 1, p. 67-83.

CARNICELLI, J. H.; PEREIRA, P. R. G.; FONTES, P. C. R.; CAMARGO, M. I. 2000. Índices de nitrogênio na planta relacionados com a produção comercial de cenoura. Horticultura Brasileira, Vitória da Conquista, v. 18, n. 3, p. 808-810.

COELHO, F. S.; VERLENGIA, F. 1973. Fertilidade do solo. Instituto Campineiro de Ensino Agrícola, Campinas, 2a. ed. 384p.

CONAB - Companhia Nacional de Abastecimento. 2016. Acompanhamento de safra brasileira de grãos. Safra 2015/2016 – Sétimo Levantamento – junho/2016. CONAB, Brasília. p. 314.

DIDONET, A. D.; RODRIGUES, O.; KENNER, M. H. 1996. Acúmulo de nitrogênio e de massa seca em plantas de trigo inoculadas com Azospirillum brasiliense. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 16, n. 9, p. 645-651.

DOS SANTOS, W. F.; AFFÉRRI, F. S.; PELUZIO, J. M. 2014. Eficiência ao uso do nitrogênio e biodiversidade em genótipos de milho para teor de óleo. Revista Ciências Agrarias, Recife, v. 57, n. 3. p. 6-11.

FANCELLI, A. L. 2010. Boas práticas para o uso eficiente de fertilizantes na cultura do milho. Piracicaba, IPNI - International Plant Nutrition Institute. n. 131, 16p.

FERREIRA, D. F. 2011. SISVAR: Programa Estatístico: SISVAR versão 5.0. Lavras, v. 35, p. 1039-1042.

GALVÃO, J. C. C. 2015. Sete décadas de evolução do sistema produtivo da cultura do milho. Revista Ceres, Viçosa, v. 61, n. 7. p. 819-828.

GOMES, R.; F; SILVA, A. G.; ASSIS, R. L.; PIRES, F. R. 2009. Efeitos de doses e época de aplicação de nitrogênio nos caracteres agronômicos da cultura do milho sob plantio direto. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 31, n. 3, p. 931-938.

HUNGRIA, M. 2011. A inoculação com estirpes selecionadas de Azospirillum brasilense e A. lipoferum melhora rendimentos de milho e trigo no Brasil. Embrapa Soja, Londrina, v. 331, n. 1-2, p. 413-425.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. 2005. Métodos químicos e físicos para análise de alimentos. São Paulo: IMESP, 1018p.

LIMA, M. D. de; PELUZIO, J. M. 2015. Dissimilaridade genética em cultivares de soja com enfoque no perfil de ácidos graxos visando produzir bicombustível. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife, v. 10, n. 2. p. 256-261.

MALAVOLTA, E. 1980. Elementos de nutrição de plantas. Piracicaba: Ceres. 251p.

MALAVOLTA, E. 2006. Manual de nutrição de plantas. São Paulo: Editora Agronômica Ceres p. 638.

MENEGALDO, J. G. 2011. A importância do milho na vida das pessoas: Teresina: Embrapa Meio-Norte. 2p.

MITTELMANN, A. 2006. Análise dialélica do teor de óleo em milho. Revista Brasileira de Agrociência, Pelotas, v. 12, n. 2, p. 139-143.

NEHL, D. B.; ALLEM, S. J.; BROWN, J. F. 1996. Mycorrhizal colonization, root browning and soil properties associated with a growth disorder of cotton in Australia. Plant and Soil, Australia, v. 179, n. 2, p. 171-182.

PEDROSO NETO, J. C.; REZENDE, P. M. 2005. Doses e modos de aplicação de potássio na produtividade de grãos e qualidade de semente de soja (Glycine max (L), Merrill). FAZU em Revista, Uberaba, v. 5, n. 2, p. 27-36.

PERRENOUD, S. 1977. Potassium and plant health. IPI Research Topics, Berne, 2a. ed. 365p.

PIMENTEL-GOMES, F. 1985. Curso de Estatística Experimental. 12. ed. Piracicaba: Livraria Nobel, 467p.

RAMBO, L.; SILVA, P. R. F. da; STRIEDER, M. L.; SANGOI, L.; BAYER, C.; ARGENTA, G. 2007. Monitoramento do nitrogênio na planta e no solo para predição da adubação nitrogenada em milho. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 42, n. 3, p. 407-417.

RITCHIE, S. W.; HAWAY, J. J.; BENSON, G. O. 2003. Como a planta de milho se desenvolve. Informações Agronômicas, Piracicaba, n. 103, p. 1-20.

SANTOS, W. F.; PELUZIO, J. M.; SODRÉ, L. F.; AFFÉRRI, F. S.; OLIVEIRA, K. J. C.; ARAUJO, L. L. 2016. Épocas de semeadura, doses de nitrogênio e rendimentos de óleo em populações de milho. Revista de Agricultura, Piracicaba, v. 91, n. 2, p. 174 - 183.

SILVA, A. G.; DUARTE P. A.; PIEDADE, R. C.; COSTA, H. P.; MEIRELES, K. G. C. 2013. Inoculação de sementes com Azospirillum e nitrogênio em cobertura no milho safrinha. In: anais, XII Seminário Nacional Milho Safrinha, Lucas do Rio Verde.

USDA, 2016. Oilseeds: World markets and trade. United States Department of Agriculture. Available at: . Access in: Feb. 24, 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.