WEED INCIDENCE IN AN INTERCROPPING SYSTEM OF BANANA, TYPE PLANTAIN, CV. D’ANGOLA, WITH ASSAI PALM IN DIFFERENT ARRANGEMENTS

Ueliton Oliveira de Almeida, Romeu de Carvalho Andrade Neto, Aureny Maria Pereira Lunz, Sebastião Elviro de Araújo Neto, Leonardo Barreto Tavella

Resumo


O objetivo deste trabalho foi fazer o levantamento de plantas daninhas no consórcio de bananeira com açaizeiro em diferentes arranjos, em Rio Branco, AC. Realizou-se o levantamento em seis áreas (monocultivos e consórcios) com quatro repetições, sendo que em cada parcela lançou-se três vezes um quadrado de 0,25 m2. As plantas daninhas foram identificadas e quantificadas, o que permitiu calcular os parâmetros fitossociológicos. Foram avaliadas a cobertura do solo e a massa seca da parte aérea das plantas daninhas. O monocultivo de açaizeiro proporcionou maior massa seca da parte área das plantas daninhas e, consequentemente, alta cobertura do solo. Ao se comparar o monocultivo de bananeira com os consórcios observa-se semelhança na produção de matéria seca e percentual de cobertura do solo. De forma geral, a espécie Mollugo verticillata é uma das plantas daninhas predominantes nos monocultivos e consórcios quanto às variáveis fitossociológicas avaliadas.


Texto completo:

PDF (English)

Referências


ALBUQUERQUE, J. A. A.; EVANGELISTA, M. O.; MATES, A. P. K.; ALVES, J. M. A.; OLIVEIRA, N. T.; SEDIYAMA, T.; SILVA, A. A. 2014. Occurrence of weeds in Cassava savana plantations in Roraima. Planta Daninha, Viçosa, MG, v. 32, n. 1, p. 91-98.

BARRO, R. S.; VARELLA, A. C.; BANGEL, F. V.; SAIBRO, J. C.; MEDEIROS, R. B.; RADIN, B. 2010. Screening native C4 pasture genotypes for shade tolerance in Southern Brazil. In: AUSTRALIAN SOCIETY OF AGRONOMY CONFERENCE, 15., Lincoln, Nova Zelândia. Proceedings... Lincoln: Australian Society of Agronomy, 2010. Available in: . Access em: 6 july 2015.

BELALCÁZAR CARVAJAL, S.; SALAZAR M., C. A.; CAYÓN S., G.; LOZADA Z. J. E.; CASTILLO, L. E.; VALENCIA M., J. A. 1991. Manejo de Plantaciones. In: El cultivo del plátano en el tropico. Colômbia: INIBAP/ICA/CDCT/ CIID. p. 149-242. (Manual de Asistencia tecnica, 50).

CARVALHO, S. L.; PITELLI, R. A. 1992. Comportamento e análise fitossociológica das principais espécies de plantas daninhas de pastagens da região de Selvia (MS). Planta Daninha, Viçosa, MG, v.10, p. 25-32.

COELHO, R. A.; RICCI, M. S. F.; ESPÍNDOLA, J. A. A.; COSTA, J. R. 2004. Influência do sombreamento sobre a população de plantas espontâneas em área cultivada com cafeeiro (Coffea canephora) sob manejo orgânico. Agronomia, Seropédica, v. 38, n. 2, p. 23-28.

DEUBER, R. 1992. Ciência das plantas daninhas: fundamentos. Jaboticabal: FUNEP, 431 p.

ERASMO, E. A. L.; PINHEIRO, L. L. A.; COSTA, N. V. 2004. Levantamento fitossociológico das comunidades de plantas infestantes em áreas de produção de arroz irrigado cultivado sob diferentes sistemas de manejo. Planta Daninha, Viçosa, MG, v. 22, n. 2, p. 195-201.

GOMES, G. L. G. C.; IBRAHIM, F. N.; MACEDO, G. L.; NOBREGA, L. P.; ALVES, E. 2010. Cadastramento fitossociológico de plantas daninhas na bananicultura. Planta Daninha, Viçosa, MG, v. 28, n. 1, p. 61-68.

IBGE, 2013. Lavouras permanentes. Available in: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/ economia/pam/default_perm_xls.shtm. Access in: 23 June, 2015.

KEELEY, P. E.; THULLEN, R. J. 1978. Light requirements of yellow nutsedge (Cyperus esculentus) and light interception by crops. Weed Science, New York, p. 10-16.

KISSMANN, K. G.; GROTH, D. 1997. Plantas infestantes e nocivas. São Paulo: BASF Brasileira, v. 2, 798 p.

LARCHER, W. 2004. Ecofisiologia vegetal. Tradução Carlos Henrique Brito de Assis Prado. São Carlos, SP: RiMa. 531 p. Tradução de: Ökophysiologie der pflanzen.

LIMA, L. K. S.; BARBOSA, A. J. S.; SILVA, R. T. L. da; ARAÚJO, R. da C. 2012. Distribuição fitossociológica da comunidade de plantas espontâneas na bananicultura. Revista Verde, Mossoró, v. 7, n. 4, p. 59-68.

LORENZI, H. 2008. 4 ed. Plantas daninhas do Brasil: terrestres, aquáticas, parasíticas e tóxicas. Nova Odessa: Instituto Plantarum.

OLIVEIRA, A. R.; FREITAS, S. P. 2008. Levantamento fitossociológico de plantas daninhas em áreas de produção de cana-de-açúcar. Planta Daninha, Viçosa, MG, v. 26, n. 1, p. 33-46.

OLIVEIRA, C. A. P. de; SOUZA, C. M. de. 2003. Influência da cobertura morta na umidade, incidência de plantas daninhas e de broca-do-rizoma (Cosmopolites sordidus) em um pomar de bananeiras (Musa spp.). Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 25, n. 2, p. 345-347.

PIMENTEL, C. Metabolismo de carbono na agricultura tropical. Seropédica: EDUR, 1998. 158 p.

SCHREINER, H. G. 1987 Tolerância de quatro gramíneas forrageiras a diferentes graus de sombreamento. Boletim de Pesquisa Florestal, Colombo, n. 15, p.61-72, dez.. Available in: < http://www.cnpf.embrapa.br/pesquisa/safs/bolet15a.pdf>. Access in: 6 July. 2015.

SILVA, V. de C.; PERDONÁ, M. J.; SORATTO, R. P.; NEGRISOLI, E. 2013. Ocorrência de plantas daninhas em cultivo consorciado de café e nogueira-macadâmia. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 43, n. 4, p. 441-449.

SOUSA, G. F. de; OLIVEIRA, L. A. de; SILVA, J. F da. 2003. Plantas invasoras em sistemas agroflorestais com cupuaçuzeiro no município de Presidente Figueiredo (Amazonas, Brasil). Acta Amazonica, Manaus, v.33, n.3, p. 353-370.

SOUZA, L. S. A.; SILVA, J. F.; SOUZA, M. D. B. 2003. Composição florística de plantas daninhas em agrossistemas de cupuaçuzeiro (Theobroma grandiflorum) e pupunheira (Bactris gasipaes). Planta Daninha, Viçosa, MG, v. 21, n. 2, p. 249-255.

VIEIRA, T. A.; ROSA, L. dos S.; VASCONCELOS, P. C. S.; SANTOS, M. M. dos S.; MODESTO, R. da S. 2007. Sistemas agroflorestais em áreas de agricultores familiares em Igarapé-Açu, Pará: caracterização florística, implantação e manejo. Acta Amazonica, Manaus, v. 37, n. 4, p. 549-558.




DOI: https://doi.org/10.37856/bja.v94i1.3276

Apontamentos

  • Não há apontamentos.