𝘈𝘻𝘰𝘴𝘱𝘪𝘳𝘪𝘭𝘭𝘶𝘮 𝘣𝘳𝘢𝘴𝘪𝘭𝘦𝘯𝘴𝘦 ASSOCIATION WITH STIMULATORS ON WHEAT CROP

Luiza Durlo, Thomas Newton Martin, Alex T. Schonell, Giovane Matias Burg, Anderson da Costa Rossatto, Lucas A. Bruning

Resumo


The objective of this research was to verify the association of stimulators and biofertilizers with the bacterium Azospirillum brasilense for wheat crop. Two experiments were carried out in which the mode and time of inoculation of A. brasilense bacteria were varied and different associations of growth stimulator and biofertilizer were tested. Number of plants per square meter, number of spikes per square meter, plant height, number of spikelets per plant, number of grains per spike, one thousand grain mass, hectoliter mass, and grain yield were evaluated. The association of A. brasilense with stimulators influenced grain yield. The use of stimulators in the seeds differed from the control in the variable “plant height”, where the inoculated plants presented 2 to 3 cm in relation to the plants without inoculation. The use of A. brasilense associated


Texto completo:

PDF (English)

Referências


BASHAN Y.; HOLGUIN G., 1997. Azospirillum plant relationships: environmental and physiological advances (1990–1996). Canadian Journal of Microbiology, Ottawa, v. 2, n. 43, p. 103-21.

CANZIANI, J. R.; GUIMARÃES, V. D. A., 2009. O trigo no Brasil e no mundo: cadeia de produção, transformação e comercialização. In: Cunha, G. R. (ed.) Oficina sobre trigo no Brasil: bases para a construção de uma nova triticultura brasileira. Passo Fundo, Embrapa Trigo, p. 29-72.

CAVALLET, L.; PESSOA, A. C. S.; HELMICH, J. J.; HELMICH, P. R.; OST, C. F. 2000. Produtividade do milho em resposta à aplicação de nitrogênio e inoculação das sementes com Azospirillum spp. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 4, n. 1, p. 129-132.

CONAB - Companhia Nacional de Abastecimento, 2016. Custos de Produção. Available at:< http://www.conab.gov.br/conteudos.php?a=1552&t=2>. Access in: September 20, 2016.

CORASSA, G. M.; BERTOLLO, G.M.; GALLON, M.; BONA, S.D.; SANTI, A.L. 2013. Inoculação com Azospirillum brasilense associada a adubação nitrogenada em trigo na região norte do Rio Grande do Sul. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, Goiânia, v. 9, n. 16, p. 1298.

COSTA, L.; ZUCARELI, C.; RIEDE, C.R. 2013. Parcelamento da adubação nitrogenada no desempenho produtivo de genótipos de trigo. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 44, n. 2, p. 215-224.

EMBRAPA – Empresa Brasileira de Agropecuária, 1997. Centro Nacional de Pesquisa Tecnológica em Informática para a Agricultura. Software NTIA: manuais do usuário. Campinas, 4v.

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Agropecuária, 2013. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 3ª ed., Brasília, Embrapa informação tecnológica, 353p.

FUKAMI, J., NOGUEIRA, M.A.; ARAUJO, R.S.; HUNGRIA, M. 2016. Acessing inoculation methods of maize and wheat with Azospirillum brasilense. AMB Express, Heidelberg, v. 6, n. 3, p. 1-13.

HELDWEIN, A. B.; BURIOL, G.A.; STRECK, N.A. 2009. O clima de Santa Maria. Ciência & Ambiente, Santa Maria, v. 38, n. 1, p. 43-58.

HUNGRIA, M., 2011. Inoculação com Azospirillum brasilense: inovação em rendimento a baixo custo. 1ª ed. Londrina, Embrapa Soja, 36 p.

INMET – Instituto Nacional de Meteorologia, 2016. Estações automáticas- Gráficos. Available at: http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r=home/page&page=rede_estacoes_auto_graf Access in: September 21, 2016.

KAPPES, C.; ARF O.; ARF M.V.; FERREIRA J.P.; DAL BEM E.A.; PORTUGAL, J.R., VILELA, R.G. 2013. Inoculação de sementes com bactéria diazotrófica e aplicação de nitrogênio em cobertura e foliar em milho. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 34, n. 2, p. 527-538.

KAZI, N.; DEAKER, R.; WILSON, N.; MUHAMMAD, K.; TRETHOWAN, R. 2016. The response of wheat genotypes to inoculation with Azospirillum brasilense in the field. Field Crops Research, Amsterdam, v. 196, p. 368-378.

LEMOS, J. M.; GUIMARÃES, V.F.; VENDRUSCOLO, L.C.G.; SANTOS, M.F. e OFFEMANN, L.C. 2013. Resposta de cultivares de trigo à inoculação de sementes com Azospirillum brasilense, e à adubação nitrogenada em cobertura. Científica, Jaboticabal, v. 41, n. 2, p. 189–198.

LONG, S. P.; ORT, D. R., 2010. More than taking the heat: crops and global change. Current Opinion in Plant Biology, Amsterdam, v. 13, n. 3, p. 241-248.

LUCIO, J. A. R.; GAMA, R. M. R.; ORTÍZ, F. C.; ELOS, M. M.; MOYA, E. G.; REYES, J. G. R. 2014. Biofertilización de Azospirillum spp. y rendimento de grano de maíz, sorgo y trigo. Revista FCA UNCUYO, Mendoza, v. 46, n. 2, p. 231-238.

MENDES, M.C.; ROSÁRIO, J. G.; FARIA, M. V.; ZOCCHE, J. C.; WALTER, A. L. 2011. Avaliação da eficiência agronômica de Azospirillum brasilense na cultura do trigo e os efeitos na qualidade de farinha. Revista Brasileira de Tecnologia Aplicada nas Ciências Agrárias, Guarapuava, v. 4, n. 3, p. 95-110.

MILLÉO, M. V. R.; CRISTÓFOLI, I., 2016. Avaliação da eficiência agronômica da inoculação de Azospirillum sp. na cultura do milho. Revista Scientia Agraria, Curitiba, v. 17, n. 3, p. 14-23.

MUMBACH, G.; KOTOWSKI, I.E.; SCHNEIDER, F.J.A.; MALLMANN, M.S.; BONFADA EB, ORTAÇA V, 2017. Resposta da inoculação com Azospirillum brasilense nas culturas de trigo e milho safrinha. Revista Scientia Agraria, Curitiba, v. 18, n. 2, p. 97-103.

NUNES, P.H.M.P.; AQUINO, L.A.; SANTOS, L.P.D.; XAVIER, F.O.; DEZORDI, L.R.; ASSUNÇÃO, N.S. 2015. Produtividade do trigo irrigado submetido a aplicação de nitrogênio e à inoculação com Azospirillum brasilense. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 39, n. 1, p. 174-182.

PEEL, M. C.; FINLAYSON B.L.; MCMAHON, T.A. 2007. Updated world map of the Köppen-Geiger climate classification. Hydrology and Earth System Science, Göttingen, v. 11, n. 5, p. 1633-1644.

PEREIRA, L. C.; PIANA, S.C.; BRACCINI, A.L.; GARCIA, M.M.; FERRI, G.C.; FELBER, P.H. 2016. Rendimento do trigo (Triticum aestivum) em resposta a diferentes modos de inoculação com Azospirillum brasilense. Revista de Ciências Agrárias, Lisboa, v. 40, n. 1, p. 105-113.

RAMPIM, L., 2012. Qualidade fisiológica de sementes de três cultivares de trigo submetidas à inoculação e diferentes tratamentos. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 34, n. 4, p. 678-685.

MUNARETO, J. D.; MARTIN, T. N.; FIPKE, G. M; SANTOS, V. C.; ROSA, G. B. Nitrogen management alternatives using Azospirillum brasilense in wheat. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 54, p. e00276, 2019.

SALA, V. M. R.; CARDOSO, E. J. B. N.; FREITAS, J. G.; SILVEIRA, A. P. D. 2007. Resposta de genótipos de trigo à inoculação de bactérias diazotróficas em condições de campo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 42, n. 6, p. 833-842.

SILVA, A.A.O.; FELIPE, T.A.; BACH, E.E. 2004. Ação da Azospirillum brasilense no desenvolvimento das plantas de trigo (variedade IAC-24) e cevada (variedade CEV 95033). Conscientia e Saúde, São Paulo, v. 3, p. 29-35.

SILVA, S.R.; PIRES, J.L.F., 2017. Resposta do trigo BRS Guamirim à aplicação de Azospirillum, nitrogênio e substâncias promotoras do crescimento. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 48, n. 4, p. 631-638.

TEIXEIRA FILHO, M. C. M., 2010. Doses, fontes e épocas de aplicação de nitrogênio em trigo irrigado em plantio direto. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 45, n. 8, p. 797-804.

UBERT, I. P.; SOLIGO, S. C., 2015. Associação de Azospirillum brasilense a doses de nitrogênio na cultura do sorgo silageiro. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, Goiânia, v. 11, n. 21, p. 220-229.




DOI: https://doi.org/10.37856/bja.v95i2.3713

Apontamentos

  • Não há apontamentos.